Browsing articles from "November, 2017"
Nov 27, 2017
admin

Um belo campeonato

Por Lucas Faraldo – Meu Timão

Solte o grito, Fiel! No jogo da entrega da taça de heptacampeão brasileiro, na Arena, em Itaquera, o Corinthians empatou um jogão com o Atlético-MG, em 2 a 2, no fim de tarde deste domingo, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida foi marcada por gols de Jadson e Marquinhos Gabriel, reservas de luxo do técnico Fábio Carille – foram contratados com status de titular, mas hoje não integram a chamada “equipe ideal” do treinador.

No que se refere à classificação, o Corinthians mantém dez pontos de vantagem para o vice-líder – o Grêmio também empatou na rodada, ficando no 1 a 1 com o Atlético-GO. A diferença cai para nove pontos se o Palmeiras, terceiro colocado, vencer o Botafogo na segunda-feira e assim ultrapassar o Grêmio – nada, é claro, que tire a taça de heptacampeão do Timão.

Em tempo: o Corinthians ainda entra em campo uma última vez na atual temporada. No domingo que vem, em Recife, contra o Sport, o Timão se despede em duelo válido pela última rodada do Brasileirão. A tendência é Carille escalar uma equipe praticamente toda formada por jogadores reservas e/ou oriundos das categorias de base.

Primeiro tempo

Empurrado pelos gritos de “é campeão!” oriundos das arquibancadas da Arena, o Corinthians foi quem dominou as ações na primeira etapa. Sem muito esforço, o Timão conseguia assustar o Atlético-MG. Destaque para chute de Jadson na trave aos 22 minutos, naquela que foi a primeira boa chance de gol.

Mas na melhor linha “nunca foi fácil”… O Atlético-MG abriu o placar aos 28 minutos. Otero cobrou falta com perfeição, a bola passou entre Jô e Camacho na barreira e entrou na meta de Cássio sem chance de defesa.

Não demorou, porém, para o Corinthians voltar a atacar com perigo. Cinco minutos após o gol do Atlético-MG, Jadson puxou bom contra-ataque e tocou para Clayson. O atacante arriscou chute de dentro da área, pela esquerda, e acertou as redes pelo lado de fora.

Mas somente nos instante finais da primeira etapa é que o Corinthians empataria a partida. E com Jadson! O camisa 10 bateu falta de média distância, do lado esquerdo do campo, realizando cruzamento venenoso. Nem Rodriguinho nem Jô conseguiram tocar na bola, apesar do esforço. Sem problema! A pelota quicou em frente a Victor e estufou as redes do Atlético-MG.

Tudo igual em Itaquera na saída do gramado para os vestiários.

Segundo tempo

Fazendo valer o mando de campo, o Corinthians pouco se importou se já estava com o campeonato ganho. Com a entrada de Marquinhos Gabriel no lugar de Camacho, os comandados de Carille partiram para cima do Atlético-MG em busca da virada no marcador.

Em menos de dez minutos, o Corinthians construiu duas chances muito parecidas: Clayson disparou pela esquerda e cruzou rasteiro para Arana, que chutou por cima do gol de Victor. Pouco depois, foi a vez do lateral-esquerdo avançar em liberdade e cruzar; Rodriguinho apareceu sozinho para bater de chapa, obrigando Victor a fazer milagre sob o travessão.

Se pela esquerda o Corinthians não conseguia chegar à virada, a solução viria do lado oposto do gramado: Marquinhos Gabriel puxou contra-ataque fantástico, deu drible à la Robben puxando a marcação para a direita e a bola para o meio, e então bateu colocado. Golaço do camisa 31 em Itaquera!

O Atlético-MG, porém, não estava disposto a abrir mão tão fácil dos três pontos. Otero, em duas jogadas de bola parada, obrigou Cássio a fazer grandes defesas. Na terceira tentativa… O equatoriano cobrou escanteio fechado, e Fred apareceu para empurrar a bola para o fundo das redes corinthianas. Tudo igual de novo na Arena.

E rapaz… Não é que o Corinthians sofreu uma espécie de apagão? Fred foi lançado em total liberdade frente a frente com Cássio. O goleiro alvinegro foi driblado, mas contou com a sorte: um chute para lá de esquisito do centroavante, que perdeu gol incrível em Itaquera.

Tentando dar nova cara ao Corinthians, Carille decidiu sacar Rodriguinho e colocar Maycon no jogo. O intuito foi reforçar a marcação no meio de campo, mas a principal consequência da alteração foram finalizações para lá de venenosas do camisa 8 corinthiano, que deu dois chutes perigosíssimos de fora da área em direção à meta de Victor.

Pedrinho ainda entrou em campo no lugar de Jadson, gerando aplausos e mais festa entre os torcedores. No fim das contas, tudo foi festa neste domingo! Empate em casa é tropeço? Que nada! É heptacampeão! Agora sim com direito a taça, medalhas e todo o mais a que o Timão tem direito!

Nov 23, 2017
admin

Quatro problemas que o Corinthians precisa solucionar

Nosso Clube convive hoje com quatro problemas básicos e urgentes. Sem buscar a saída para essas questões, o Corinthians, grande como é, continuará com a fadiga e desespero de antecipar receitas e fazer mágica mês a mês para conseguir fechar suas contas mais essenciais.

A primeira questão a ser resolvida diz respeito ao preço do nosso estádio. Nós precisamos ir a fundo para descobrir qual é o real preço da nossa casa, verificar o que falta ser terminado, o que foi mal feito e tudo que foi entregue por preços acima do normal. Essas ações devem ser enfrentadas junto à construtora, de forma séria e enérgica, sem rompantes e discursos irresponsáveis. Isso deveria ter sido feito há tempos pela diretoria. Porém, o atual grupo dirigente não tem a menor condição de resolver este problema, pois eles próprios participaram de todo o processo, de forma muito improvisada.

O segundo ponto a ser resolvido é a gestão do estádio. Além de cara e pouco eficiente, a empresa que cuida dos itens mais fundamentais para gerar receita com nossa casa só trabalha para o Corinthians. Não temos conhecimento de que esta empresa preste serviços para outras organizações -e isso nos deixa muito apreensivos quanto à sua competência para gerir a arena.

A terceira questão urgente é o empréstimo da Caixa. Sabemos que os bancos não abrem mão de receber seu dinheiro. Porém, o Corinthians precisa lutar por seus interesses, negociando melhores condições que tornem suportável o financiamento. Para ter contas equilibradas, resolver esta questão é algo imprescindível.

O quarto ponto que precisamos resolver, pensando no bem-estar do sócio e na saúde do nosso Clube Social, é a grande mudança enfrentada pelo Parque São Jorge. Há alguns anos, a Fazendinha era uma grande atração, por conta dos treinos e a constante presença de jogadores. Isso era um grande estímulo para nossos associados. Hoje em dia, a realidade é outra: os jogadores treinam no CT da Ayrton Senna e jogam na arena. Não há mais o contato dos jogadores com o Parque São Jorge e nosso espaço da Fazendinha (assim como o resto do Clube) está abandonado. Temos, portanto, uma grande oportunidade de utilizar aquele espaço para melhor atender nosso Clube Social. Podemos dar um grande salto para melhorar nossas instalações e retomar nossa tradição nos esportes olímpicos.

Discutir e implementar as soluções para estes problemas são alguns de nossos principais compromissos. Falamos um pouco sobre isso no programa do Craque Neto. Você pode ver o vídeo aqui.

Nov 22, 2017
admin

Craque Neto torce pela candidatura de Roque Citadini

No programa “Baita Amigos”, o Craque Neto declarou sua torcida por nossa candidatura à presidência do Corinthians.

Este tipo de incentivo nos deixa felizes e faz aumentar nossa responsabilidade durante esta caminhada rumo à vitória e ao engrandecimento do nosso Corinthians.

Ainda esta semana, teremos mais trechos dessa entrevista.

Nov 21, 2017
admin

Jogadores 100% do Corinthians é o que teremos em nossa base

Em nossa gestão, a categoria de base será composta apenas por jogadores que forem 100% do Corinthians. Não há sentido em pagar altos custos com funcionários e corpo técnico, instalações e equipamentos, para depois “revelar” um jogador que sairá rapidamente do nosso Clube, sem grandes benefícios para nossa agremiação. Só os empresários ganham neste jogo.

Os grandes e sérios clubes do mundo adotam o modelo que pretendemos e o Corinthians, como maior do Brasil, deve tomar a frente estabelecendo posições mais fortes em relação a sua base.

Nov 15, 2017
admin

O maior Campeão Brasileiro

Meu Timão – Lucas Faraldo
Jô marcou dois gols nesta histórica noite de quarta-feira para o Corinthians

Jô marcou dois gols nesta histórica noite de quarta-feira para o Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Solte o grito, Fiel! É heptacampeão!!! O Corinthians até deu um susto na torcida, mas não deixou a oportunidade escapar: com direito a dois gols de Jô – e um de Jadson -, o Timão venceu o Fluminense de virada, por 3 a 1, na noite desta quarta-feira, na Arena, em Itaquera, e confirmou, com três rodadas de antecedência, seu sétimo título do Campeonato Brasileiro.

A matemática não deixa dúvida: restando três rodadas para o término do Brasileirão, o Corinthians mantém a vantagem de dez pontos para o vice-líder Grêmio. Como apenas nove pontos estão em disputa, fica impossível qualquer equipe ultrapassar o Timão.

Vale ainda registrar a escalação que estampará os históricos pôsteres do heptacampeonato brasileiro do Corinthians: Caíque França, Fagner, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Camacho; Romero, Rodriguinho e Clayson; Jô. Ficaram de fora: Cássio, voltando de viagem da Seleção Brasileira, e Balbuena, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Em tempo: o Corinthians, talvez um tanto quanto de ressaca por conta do título, volta a campo já no domingo. A equipe alvinegra tem compromisso marcado com o Flamengo, em solo carioca, no estádio Luso-Brasileiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Primeiro tempo

Gol do Fluminense. É… Você não leu errado. Muitos torcedores ainda nem haviam entrado na Arena quando os cariocas já abriam o placar em Itaquera. Marcos Júnior cobrou escanteio e, no primeiro minuto da partida, o zagueiro Henrique subiu livre entre Pablo, Jô e Pedro Henrique. A bola foi cabeceada, Caique não conseguiu defender, e o Timão saiu atrás no marcador. 0 a 1.

O Corinthians então fez o que se esperava: partiu para cima do Fluminense. Com destaque para participação de Romero e Fagner, o Timão “amassou” os cariocas no campo de defesa adversário. Ainda assim, encontrou dificuldade para incomodar Diego Cavalieri.

Já os tricolores, apostando no contra-ataque para ampliar o placar, voltaram a levar perigo a Caique. Henrique Dourado cruzou por cima de Pablo, e Scarpa cabeceou com liberdade; Arana salvou a pátria alvinegra e cortou com o rosto.

Do outro lado do campo, o Corinthians seguia sua missão de martelar o Fluminense. E numa das enfiadas de bola… Romero gingou pela direita e deu ótimo passe para Fagner. O lateral apareceu como elemento surpresa e cruzou rasteiro no segundo pau. Jô tentou carrinho e, por muito pouco, não acertou a bola, que acabou saindo pela linha de fundo.

Na sequência, com foco nos 15 minutos finais do primeiro tempo, o que se viu foi um show de enrolação por parte dos jogadores do Fluminense. Cada dividida se tornava um derramamento de sangue: Henrique Dourado, Marcos Júnior & cia. deitavam e rolavam (literalmente) tentando paralisar o jogo – a famigerada “cera”. E assim cozinharam a partida até o intervalo. Pior para o Timão…

Segundo tempo

Gol do Corinthians! E gol do Corinthians! É… Você, mais uma vez, não leu errado. Os comandados de Fábio Carille mal voltaram do intervalo e já estavam à frente no placar.

Em meio à primeira substituição do Timão na partida, com Jadson entrando na vaga de Camacho, Jô rolou para Clayson na esquerda. O jovem ludibriou a marcação e, ao perceber a entrada do centroavante na área, cruzou. O artilheiro corinthiano subiu mais alto do que a marcação e cabeceou para o fundo do gol logo no primeiro minuto do jogo.

Dois minutos se passaram e a dupla voltou a brilhar: Jô tocou de cabeça para Clayson, que deu lindo chapéu de calcanhar em dois jogadores do Fluminense, arrancou pela direita e cruzou. A bola bateu no travessão de Cavalieri e encontrou a cabeça de quem no rebote? Jô! Sempre ele! O Timão virou o jogo para cima dos cariocas!

Com a vantagem no marcador e a torcida em chamas nas arquibancadas da Arena, o Corinthians bailou em campo no segundo tempo. Teve um pouco de tudo: arrancada com dribles e mais dribles de Rodriguinho, caneta de Arana para cima da marcação, bola na trave em chute colocado de Jadson…

A cereja do bolo, aliás, estava destinada a Jadson. Após jogadaça individual de Fagner pela direita, fazendo fila para cima dos adversários, o camisa 10 recebeu na entrada da área, olhou para o posicionamento de Cavalieri e bateu no canto direito do goleiro. Gol do Timão!

Para finalizar: aquele que pode ser considerado o “quarto gol” do Corinthians na noite. Danilo, ídolo do clube, em sua oitava temporada com a camisa alvinegra, entrou em campo pela primeira vez no ano – estava desde agosto de 2016 se recuperando de lesões. Ele substituiu Jô em uma arrepiante paralisação do jogo, já nos minutos finais.

Ufa! Da forma mais corinthiana possível, pode soltar o grito, Fiel! É campeão!!!

Nov 11, 2017
admin

Mais uma vitória

Por Lucas Faraldo – Meu Timão

Kazim marcou o único gol da vitória do Corinthians sobre o Avaí
Kazim marcou o único gol da vitória do Corinthians sobre o Avaí

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Kazim neles! O Corinthians fez valer o favoritismo e venceu o Avaí por 1 a 0 no fim de noite deste sábado, na Arena, em Itaquera, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gringo inglês naturalizado turco, que não marcava um gol desde fevereiro, no Campeonato Paulista, é quem balançou as redes para o Timão!

Com o resultado, o Corinthians disparou mais ainda na liderança rumo ao heptacampeonato. Os comandados de Carille aumentaram de oito para 11 pontos a diferença para o Grêmio, vice-líder – a maior “gordura” do Timão na atual edição do Brasileirão. Os gaúchos, importante destacar, enfrentam o Vitória no fim de tarde deste domingo, em Porto Alegre.

Em tempo: o Corinthians entrou em campo com dois desfalques. O goleiro Walter não pôde jogar pois está lesionado. O atacante Jô está cumprindo suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Assim, o Timão contou com: Caique, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Camacho; Romero, Rodriguinho e Clayson; Kazim.

Vale lembrar que o Corinthians volta a campo na próxima quarta-feira à noite, a partir das 21h45, contra o Fluminense, também na Arena, em Itaquera, pela 35ª rodada do Brasileirão.

Primeiro tempo

Os 45 minutos da etapa inicial foram marcados por muita posse de bola do Corinthians, muita retranca do Avaí e, assim, pouca efetividade (e principalmente criatividade) do ataque alvinegro. Não é muito difícil imaginar, então, o porquê do 0 a 0 no placar…

Aos 14 minutos, o Corinthians construiu a primeira chance real de gol do jogo. Kazim ficou com a sobra em uma saída errada do Avaí e ligou Romero no ataque. O paraguaio arriscou o chute da entrada da área. A bola desviou em Betão e foi defendida pelo goleiro Douglas.

Aos 38, nova chance do Corinthians. Camacho, num lindo lance individual, dominou no peito e acertou um “sem pulo” na meta do Avaí. Douglas, no entanto, fez grande defesa!

Em suma, o primeiro tempo se resumiu à pressão corinthiana no ataque. Combinada ao bom posicionamento defensivo do Avaí, porém, a pró-atividade do Timão de pouco adiantou.

Segundo tempo

Percebendo que o Corinthians precisava de algo a mais no setor de criação, Carille decidiu mexer na escalação corinthiana logo no intervalo: sacou Camacho e colocou Jadson.

A alteração até estimulou maior ofensividade por parte do Timão, mas não foi dos pés de Jadson que saiu o gol responsável por abrir o placar. Aos três minutos, Arana cruzou bola venenosa e Kazim apareceu em meio aos defensores do Avaí, na entrada da pequena área, para bater na bola com o peito e assim estufar as redes de Douglas. Gol do Timão!

O torcedor corinthiano mais corneta mal estava acreditando no gol de Kazim e… quase o segundo do inglês naturalizado turco! Após cruzamento de Fagner e bola afastada pela zaga do Avaí, o gringo da favela apareceu sozinho e soltou a bomba, que explodiu na defesa catarinense e saiu pela linha de fundo. Quase o segundo do Corinthians.

Claramente satisfeito com a vantagem mínima no marcador, Carille mexeu os pauzinhos para tentar manter o placar favorável ao Corinthians. Maycon entrou na vaga de Rodriguinho. Logo depois, foi a vez de Marquinhos Gabriel assumir o posto de Clayson.

E houve ainda mais oportunidades de gol do Corinthians! Gabriel recebeu bola de Jadson e arriscou a finalização. Por pouco, o camisa 5 do Timão não ampliou o placar.

No fim das contas, vitória justa e relativamente tranquila para o Corinthians. E o Timão, importantíssimo lembrar, cada vez mais perto da taça!

Nov 9, 2017
admin

Muito perto

O Corinthians conseguiu uma importante (e improvável) vitória de 1 a 0 sobre o Atlético-PR, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Improvável porque não foram nomes habituais os heróis, como Cássio ou Jô. Mas sim a dupla Walter e Giovanni Augusto – o goleiro pegou pênalti; o meia balançou as redes.

Vale lembrar que o Corinthians entrou em campo sem os titulares Cássio (convocado pela Seleção Brasileira e suspenso) e Gabriel (suspenso). Jadson também foi baixa por conta do terceiro cartão amarelo. Foram escalados: Walter, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Camacho e Maycon; Romero, Rodriguinho e Clayson; Jô.

O Corinthians volta a campo já na noite deste sábado, a partir das 19h, na Arena, em Itaquera, contra o Avaí. O duelo será válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Primeiro tempo

Os 45 minutos iniciais da partida foram marcados por bastante equilíbrio entre Corinthians e Atlético-PR – com maior posse de bola dos donos da casa. Lambanças (ou tomadas de decisão polêmicas) do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães também se destacaram.

Aos 17 minutos, a primeira grande chance de gol do Corinthians. Camacho, lá do campo defensivo, acertou um lançamento fenomenal para Romero. O paraguaio dominou com estilo, cortou a marcação e tentou encobrir o goleiro Weverton, que espalmou a bola. Rodriguinho pegou o rebote e fuzilou as redes – pelo lado de fora.

No minuto seguinte, a resposta do Atlético-PR: Gedoz soltou uma bomba em cobrança de falta de longa distância, acertando a trave esquerda de Walter. Susto para o Timão!

A principal oportunidade dos paranaenses, no entanto, seria construída depois. Nikão ficou frente a frente com Fagner na grande área e chutou a bola na mão do lateral. O árbitro entendeu que o camisa 23 assumiu risco de pênalti ao deixar o braço estendido no lance. Na cobrança, o próprio Nikão bateu, e a estrela de Walter brilhou: defesa do goleiro corinthiano!

Walter comemorou junto com a Fiel defesa do pênalti
Walter comemorou junto com a Fiel defesa do pênalti

Reprodução/TV

Já nos acréscimos do primeiro tempo, um dos mais polêmicos lances da partida: Thiago Heleno deu carrinho “criminoso”, por trás, em Romero. Mesmo pressionadíssimo pelos jogadores corinthianos, o árbitro mostrou apenas cartão amarelo. A comissão técnica alvinegra se rebelou, e o preparador de goleiros Mauri Lima acabou expulso por reclamação.

Romero levou entrada
Romero levou entrada ‘criminosa’ de Thiago Heleno

Reprodução/TV

Segundo tempo

Ao contrário da etapa inicial, os 45 minutos complementares começaram morno. Apesar do equilíbrio entre os times e da intensa disputa pela bola no meio de campo, nenhuma das agremiações conseguia construir jogadas efetivamente perigosas para os goleiros rivais.

Percebendo a morosidade de sua equipe, o técnico Fábio Carille decidiu fazer mudanças. Primeiro sacou Clayson para promover a entrada de Giovanni Augusto. Pouco tempo depois, trocou Maycon por Paulo Roberto, deixando assim Camacho mais avançado no meio.

E antes que os torcedores mais “corneteiros” pudessem reclamar… Gol de Giovanni Augusto!!! Logo o primeiro dele não apenas no campeonato como também na temporada inteira de 2017. O camisa 17 recebeu pela esquerda, cortou para dentro se livrando da marcação e bateu cruzado no canto direito de Weverton. Um belo tento do meia!

Os 15 minutos finais da partida, porém, acabaram resumidos a um dos episódios mais tristes do Corinthians na atual edição do Brasileirão – por mais que a equipe tenha conseguido confirmar os três pontos. Walter se lesionou muscularmente ao bater um tiro de meta, desabou no gramado e, aos prantos, acabou substituído por Caique França.

Vitória sofrida, com heróis e acontecimentos improváveis. Vitória de (hepta)campeão!

Nov 5, 2017
admin

Uma grande vitória

Por Vinícius Souza – Meu Timão

O Corinthians está mais próximo do que nunca do título do Campeonato Brasileiro 2017. Com gols de Romero, Balbuena e Jô, a equipe alvinegra derrotou o rival Palmeiras por 3 a 2 na tarde deste domingo, na Arena, em Itaquera, pela 32ª rodada. Mina e Moisés descontaram para os visitantes.

A vitória no principal clássico da temporada faz o Corinthians somar 62 pontos, além de “tirar três” do Palmeiras (54 pontos), concorrente, ao lado do Santos (56), na corrida pelo troféu nacional. Restam seis rodadas para o término da competição.

Antes de o clássico ter início em Itaquera, a torcida corinthiana voltou a ser protagonista. Um mosaico alusivo ao bicampeonato mundial do clube foi erguido no setor Leste da Arena, leve provocação ao rival – há quem entenda que o Palmeiras jamais foi campeão do mundo, já que a Copa Rio, vencida em 1951, não pode ser considerada como tal.

Mosaico com indireta ao Palmeiras foi erguido pela Fiel antes do Dérbi
Mosaico com ‘indireta’ ao Palmeiras foi erguido pela Fiel antes do Dérbi

Reprodução/Premiere

O esquadrão alvinegro volta a campo já na próxima quarta-feira, diante do Atlético-PR, às 21h, na Arena da Baixada. O goleiro Cássio, vale lembrar, desfalcará o Timão no compromisso em Curitiba porque tem de se apresentar à Seleção Brasileira na segunda-feira – o Brasil encara Japão e Inglaterra nos dias 10 e 14 de novembro.

DÉRBI ELETRIZANTE E 1, 2, 3!

Corinthians e Palmeiras faziam um clássico cercado de expectativas por ambos os lados. E, apesar disso, os primeiros minutos de bola rolando foram, de fato, disputados por duas equipes que brigam pelo título do Campeonato Brasileiro.

As mudanças promovidas por Fábio Carille para o Dérbi – saídas de Maycon e Jadson, entradas de Camacho e Clayson – não demoraram a surtir efeito. Pelo lado esquerdo, Clayson fazia boa dobradinha com Guilherme Arana e abusava da velocidade para levar perigo à defesa rival. Já Camacho fechava espaços no meio de campo e não precisava mais do que dois toques na bola para fazer o jogo correr.

O Corinthians, aparentemente mais concentrado em relação às rodadas anteriores, trabalhava a bola de maneira simples e objetiva, o que logo o fez abrir o placar: aos 27 minutos, Rodriguinho recebeu passe na esquerda e chutou cruzado, encontrando Romero livre no lado direito. 1 a 0 e comemoração com direito a selfie do elenco!

Autor do primeiro, Romero tirou selfie com companheiros ao celebrar gol
Autor do primeiro, Romero tirou selfie com companheiros ao celebrar gol

Reprodução/Premiere

A essa altura, o Dérbi já havia se tornado eletrizante, com os dois times impondo forte marcação e agilidade nos contra-ataques. O Timão, no entanto, soube aproveitar o bom momento para marcar o segundo em cabeceio do zagueiro Balbuena, que completou cobrança de escanteio de Clayson.

Foi um primeiro tempo digno de Corinthians x Palmeiras. Com o 2 a 0 desfavorável, a equipe alviverde se lançou ao ataque e rapidamente conseguiu descontar com Mina. O defensor colombiano ganhou de Pablo pelo alto e só teve o trabalho de tirar das mãos de Cássio, já rendido na jogada.

O gol palmeirense até tinha potencial para tirar a concentração do Corinthians, mas não foi o que ocorreu. Poucos minutos depois, Jô avançou em direção à área, foi agarrado e calçado por Edu Dracena e teve pênalti marcado pelo árbitro gaúcho Anderson Daronco. Sem Jadson, batedor oficial do time, o próprio camisa 7 chamou a responsabilidade, bateu no canto esquerdo de Prass e converteu, anotando o terceiro dos donos da casa.

Jô anotou terceiro do Timão no clássico contra o Palmeiras
Jô anotou terceiro do Timão no clássico contra o Palmeiras

Reprodução/Premiere

SEGUNDO TEMPO

Até pela vantagem construída na etapa inicial, o Corinthians voltou do vestiário com postura defensiva, disposto a adotar o contra-ataque como principal estratégia. Com poucos minutos, Carille sacou Gabriel, que já havia levado cartão amarelo, para a entrada de Maycon.

O plano tático do Timão facilitou a estratégia do Palmeiras, que passou a ficar mais tempo com a bola e trabalhar como queria no campo ofensivo. A equipe da Barra Funda também não demorou a fazer o segundo gol: aos 22 minutos, Moisés arrematou cruzado e acertou o ângulo direito do goleiro Cássio.

O segundo tempo do Dérbi foi mais lutado que jogado em Itaquera. De um lado, o Corinthians se fechava como podia e buscava puxar o contra-ataque, mas pecava na falta de concentração. Já o Palmeiras, sem nada a perder, atacava a qualquer custo, a essa altura já despreocupado com o setor defensivo.

Carille ainda promoveu as entradas de Fellipe Bastos e Jadson, a fim de reter a bola e encontrar o quarto. Mas foi só. Com três gols no primeiro tempo, o Corinthians venceu o arquirrival e deu passo considerável rumo ao heptacampeonato brasileiro.